Dicas de alvenaria convencional

-FK - ALVENAR‏IA CONVENCIONAL
*imagem ilustrativa


ALVENARIA CONVENCIONAL
É formada por pilares, vigas e lajes , sendo que os vãos podem ser preenchidos ou fechados com tijolo cerâmico, tijolinho comum (tijolo de barro), tijolinho aparente, tijolo laminado de 21 furos, tijolo de face lisa 25x25cm ou com bloco de concreto. Nestes casos, o peso da construção é distribuído em sapatas, brocas, baldrames, pilares, colunas e vigas, que devem ser projetadas por um profissional do ramo (engenheiro ou arquiteto), para determinar o tipo, tamanho, ferragem a ser utilizada e etc., e determinar como devem ser feitos e por isso as paredes são chamadas de paredes de vedação, paredes “não-portantes”. Entre as vantagens da estrutura convencional estão a possibilidade de criação de um projeto mais arrojado como na utilização de portas e janelas fora das medidas padronizadas. É possível realizar qualquer tipo de reforma. Para a construção de elementos como pilares e vigas são usados aço estrutural e formas de madeira. Depois da construção das paredes, é preciso “rasgá-las” para embutir as instalações hidráulicas e elétricas ou até removelas. Após o fechamento das paredes, deve ser iniciada a etapa de revestimento das paredes quando necessário for, caracterizada pela aplicação do chapisco, massa grossa, grafiato, textura, massa fina e pintura.

Alvenaria vedação

ALVENARIA CONVENCIONAL DE VEDAÇÃO
*imagem ilustrativa

VEDAÇÃO
Na alvenaria de vedação, como o próprio nome sugere, o objetivo das paredes é fechar a estrutura da obra entre colunas e vigas sem contribuir de forma direta para a estrutura do projeto. Esta característica não dispensa a utilização de tijolo cerâmico de furo vertical com tecnologia e dimensionados para atender com praticidade as diferentes exigências de cada projeto.
Dicas - A alvenaria com a função de vedação, mas pode pode também ser parte da própria estrutura da construção. Constituídas com tijolos cerâmicos vedação. As dicas que mostraremos aqui servem para as alvenarias feitas , elementos construtivos com dimensões pré-determinadas e constantes. Seja como tijolos de furo vertical ou horizontal de vedação, as alvenarias são sempre assentadas em cima de uma base. Esta pode ser o baldrame, alicerce ou algum outro elemento estrutural, como:
• Baldrame – Dá-se este nome à viga da fundação que serve justamente de base para a alvenaria, ficando ao rés do chão. O baldrame deve ser devidamente impermeabilizado, sendo preciso esperar ao menos um dia para a secagem completa da camada de impermeabilização antes de se iniciar a alvenaria sobre ele.
• Alicerce – Em pequenas obras, com fundação rasa, ou mesmo em obras que utilizam vigas baldrame, é preciso fazer levantar algumas fiadas de tijolos, devidamente impermeabilizadas, para interligar a fundação às paredes. Esta pequena parede costuma-se chamar de alicerce, frequentemente confundida com o baldrame, mas são coisas distintas.
• Elemento estrutural São vigas ou lajes de concreto armado, podendo também ser algum elemento da estrutura metálica. Em qualquer destes casos provavelmente estaremos falando de paredes longe do solo, no primeiro pavimento ou acima dele.
CONHEÇA NOSSAS DICAS DE FUNDAÇÃO Clique aqui.
• Planejamento- O projeto determinará espessura de cada parede. Seja como for, o serviço sempre é iniciado pelos cantos principais, devidamente posicionados pelo mestre de obras que usará para isto o gabarito da obra, para paredes no térreo, ou a planta, para obras que tenham um ou mais pavimentos. Feita esta localização das paredes no plano horizontal, resta fazer a localização das fiadas no plano vertical, o que deverá ser planejado com precisão e sua modulação. Muitos pedreiros deixam de fazer este planejamento das fiadas, dizendo que “depois eu acerto na massa”, mas este é um engano e leva a desperdícios. O correto é prever quantas fiadas serão necessárias para alcançar a altura do respaldo das paredes evitando recortes no final. O levantamento da parede de modo desordenado, além de dar muito mais trabalho no acabamento, piora o aspecto e pode diminuir a resistência. Feito este cálculo podemos fazer a régua (ou “cantilhão”), que nada mais é do que uma cantoneira de ferro ou aluminio podendo ser também de sarrafo perfeitamente reto onde é marcado a quantidade de fiadas e colocado perfeitamente no prumo exatamente em um dos cantos colocando outra régua na extremidade oposta, conforme mostra a figura abaixo:

Cantilhão

cantilhão
*imagem ilustrativa

Fazendo a marcação da parede, usando o cantilhão devidamente alinhado e aprumado e planejado a modulação, iniciar o levantamento da parede, sempre pelos cantos. Coloca-se algumas fiadas de um lado e do outro, depois vai esticando a linha entre os dois lados e preenchendo o meio com uma fiada completa de blocos, mantendo as devidas amarrações, conforme mostrado na figuara anterior até o final, ou seja, até chegar ao respaldo da parede. Neste ponto, a parede esta estará perfeitamente nivelada, no prumo e na altura correta. Este procedimento vai se repetindo ao longo de todas as paredes do mesmo pavimento. Alvenarias feitas com este cuidado são mais econômicas, economizando material e tempo de execução, além de ter maior resistência à compressão, sendo perfeitamente adequadas para uso como alvenaria convencional. Se o projeto arquitetônico prever alvenaria aparente, então o planejamento de cada parede e o levantamento com cantilhão são medidas obrigatórias, para não ficar aquele aspecto horrível de coisa mal feita e improvisada. Para que se tenha uma alvenaria perfeita e que dure por muitas e muitas décadas é importante que a parede seja feita sobre base firme. Entretanto, mais importante que isto, é bom seguir alguns procedimentos importantes mas que, infelizmente, são desprezados pela esmagadora maioria dos profissionais que, via de regra, trabalham por empreitada e querem terminar seu serviço o quanto antes, ou seja, o relaxo é uma atitude compreensível mas não justificável. O bom profissional deveria ter orgulho de seu trabalho e, portanto, deveria procurar fazê-lo da maneira mais irrepreensível de que fosse capaz. Bem, vamos então às regras tão importantes mas que, infelizmente, nem sempre são seguidas: É muito importante manter prumo e nível perfeitos na disposição das diversas fiadas com espassamento de 1cm (junta). Com o cantilhão o prumo será quase que automático, porem o correto é conferir o prumo da parede a cada fiada. As juntas na vertical devem ser desencontradas e no formato de amarração escolhida para cada parede, não poderá ter sobreposição de juntas em nenhum ponto. Vãos de porta devem ter uma vergas em cima do vão, e os peitoris das janelas devem ter contravergas. Com isto evita-se as trincas que aparecem nos cantos das portas e janelas em paredes mal feitas.

Escolha o tipo (família) do Bloco cerâmico e calcule aqui a quantidade
que você necessita em sua construção

Informe a área de parede (m²):
Modulação (família):
% para sobra ou quebra:
Resultado: